Renascimento cultural – O que foi? Resumo de História

By | junho 9, 2016

O Renascimento Cultural teve seu início no século XIV, na Itália. Mas foi desde o século XII teve início um lento processo de transformação cultural a partir das cidades italianas, que se espalhou por toda a Europa. Nas escolas urbanas valorizava-se uma leitura da Bíblia que destacava a semelhança entre o homem e Deus.

As cidades medievais tornavam-se centros de intensa produção intelectual oferecendo cursos que abrangiam
desde o ensino mais elementar até os altos estudos universitários. As atividades urbanas requeriam novas habilidades e conhecimentos. Ler, escrever e calcular eram indispensáveis à prática do comércio.

As línguas vulgares começavam a ser utilizadas como meio de comunicação escrita e, em pouco tempo, dariam
origem aos idiomas nacionais (francês, inglês, castelhano, português, etc.).

Uma alteração da sensibilidade artística começava a se manifestar desde o século XIII com a valorização da
cultura clássica (greco-romana), do racionalismo e do espírito crítico, do naturalismo (estudo da natureza) ameaçando o controle da Igreja.

Mas essa relação com a Antiguidade não representava o desejo nostálgico de retorno ao passado. Os homens
medievais sabiam que já eram “outros homens”, diferentes dos da Antiguidade. Queriam o poder, a ciência, a arte
e a filosofia dos antigos adaptada ao seu mundo. Fazer renascer a produção intelectual não significava retornar ao
mundo antigo, significava criar a partir dos antigos.

Cultura Renascentista

No Renascimento, o desenvolvimento da nova cultura correspondia às necessidades da burguesia de afirmar-se em uma sociedade dominada pela nobreza e pelo clero. Desde cedo, ricos comerciantes, denominados mecenas, patrocinaram os artistas.

Além do prestígio político que adquiriram em suas cidades, esses comerciantes contribuíam para a formação de um movimento cultural alternativo ao clerical, conhecido por Renascimento, que atingiu seu apogeu nos séculos XV e XVI.

Artistas do renascimento

michelangelo-artista-renascimento

As artes plásticas, no renascimento cultural, os homens do Renascimento produziram pinturas e esculturas baseadas na observação do
mundo visível e em uma série de princípios matemáticos e racionais, como equilíbrio, harmonia e perspectiva. Nas
mãos de homens como Michelangelo e Leonardo da Vinci a arte tornou-se um meio de explorar a natureza.

O movimento ultrapassou fronteiras e favoreceu o surgimento de manifestações intelectuais e artísticas originais.
Shakespeare, Erasmo de Roterdã, Thomas Morus, influenciados pelos italianos, renovaram, segundo as
tradições do norte, o pensamento do século XVI. Porém, a religiosidade não foi abalada com as inovações dos
mestres italianos. A onipresença de Deus ainda determinaria as obras dos homens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *