França Antártica e Equinocial – Resumo de História

By | junho 22, 2016

A monarquia francesa não aceitou a partilha do mundo promovida pelo Tratado de Tordesilhas, entre portugueses e espanhóis. Por isso, desde o inicio do século XVI, os franceses exploravam o litoral da América portuguesa, extraindo o pau-brasil, atividade para a qual contaram com o apoio de diversos povos indígenas.

França Antártica

Durante o governo de Duarte da Costa, o segundo governador-geral, os franceses empreenderam sua primeira tentativa de efetiva colonizaçáo em terras americanas: em 1555, a serviço do rei Henrique II, Nicolau Durand de Villegaignon fundou a França Antártica, na região da Bala de Guanabara.

Ali, os franceses construíram uma fortificação de madeira – o Forte Coligny – em homenagem ao almirante 1 coligny, principal articulador do projeto colonizador francês nesse litoral.

Os colonos franceses eram principalmente protestantes calvinistas que fugiam da perseguição promovida pelos católicos na França. Para se estabelecerem na região,os franceses contaram com o apoio de grupos indígenas da Confederação dos Tamoios, hostis aos portugueses.

França Antártica equinocial

A resistência lusitana não demorou a vir: as primeiras expedições organizadas para expulsar os franceses tiveram início em 1560. Depois de várias batalhas, os franceses foram definitivamente derrotados, em 1567, pelo terceiro governador-geral, Mem de Sã.

Em 1 de março de 1565, ainda em meio ao conflito, o comandante português Estácio de Sã, sobrinho do governador-geral, fundou a vila de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Os portugueses ainda enfrentariam e venceriam os franceses em outras regiões brasileiras: Paraíba (1584), Sergipe (1590), Rio Grande do Norte (1599) e Ceará (1603).

França Equinocial

Em 1612, ocorreu nova tentativa francesa de apossar-se de terras americanas: a França Equinocial, ocupação do Maranhão, com a fundação da cidade de São Luís, de onde os franceses foram expulsos em 1615.

Em 1616, com a conquista do Pará, os portugueses praticamente sepultaram as ambições francesas em terras sul-americanas. Em 1710 e 1711 ainda ocorreram outras duas tentativas frustradas de invasão ao Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *